Destaques Últimas Notícias

Morre o médico Aldo Mota


Faleceu,  na tarde de hoje (02), o médico Aldo de Azevedo Mota, fundador e diretor do Hospital das Clínicas do Carpina.
Ele estava hospitalizado no Real Hospital Português. O velório será realizado no Cemitério Morada da Paz, na cidade de Paulista,  e o sepultamento ocorrerá no município de Sanharó, nesta segunda -feira (03),  à tarde. Maiores informações sobre o velório serão repassadas pela família.

Em sua trajetória Aldo Mota desempenhou cargos de cirurgião auxiliar, cirurgião chefe, chefe de emergência, diretor médico do Hospital da Restauração, do Hospital Geral de Paudalho, da Unidade Mista de Carpina e das Clínicas em Carpina, da qual também é um dos fundadores.

Desde 1983, passou a trabalhar no Departamento Médico da ALEPE e, em 1988, assumiu o posto de Diretor do Departamento de Saúde, no qual permanece lotado até hoje, no cargo de Superintendente de Saúde.

Aldo Mota tem duas filhas médicas, Keyla e Cristina Mota e dois filhos Aldo Júnior e Almir Mota, advogados. Ao longo de sua vida conquistou o respeito dos colegas de profissão e de pacientes.

Trajetória – Aldo Mota é natural de Sanharó. Nascido em 06 de dezembro de 1936, no Sítio Cajueiro, é o filho mais velho do agricultor Arthur Mota Valença e de Alayde Azevedo Mota. Teve mais três irmãos, Adilza, Adail e Almir.

Concluiu o Ginasial e o Científico, em 1959, no Colégio Oswaldo Cruz. O Curso de Medicina na Universidade Federal de Pernambuco foi concluído em 1964. Realizou especializações em hospitais de Recife, Rio de Janeiro e São Paulo nas áreas de Maternidade, Emergência do Hospital Pronto Socorro, estágios em Clínica Cirúrgica, Ortopédica e Obstetrícia.

Conseguiu aprovação no concurso público de Carpina para médico cirurgião, sendo lotado na Unidade Mista de Carpina em 1965, chegando ao cargo de Diretor.

No ano de 1967 foi transferido para o HPS, em Recife, ocupando o posto de cirurgião na emergência, quando houve a transferência para o novo hospital. No Hospital da Restauração, exerceu os cargos de cirurgião auxiliar, cirurgião chefe, chefe das emergências, diretor médico, vice diretor, até que, um dia, por um dever de consciência e apelo da maioria dos colegas e funcionários, concordou em assumir a direção geral.

No cargo de Diretor Geral, pelos serviços que vinha desenvolvendo com independência na escolha dos colaboradores diretos, passou a realizar mudanças na qualidade e relacionamento com os usuários, autoridades e imprensa. Conseguiu também que as verbas de manutenção fossem repassadas nas datas programadas. A qualidade do atendimento à população foi reconhecida pelos seus superiores.

Com a eleição do Dr. Marco Maciel para governador, o hospital voltou para Fusam/Secretaria de Saúde. Aldo Mota foi mantido no cargo e o governo determinou uma grande reforma no hospital, cujo projeto era estrutural, funcional e da descentralização das emergências, sendo criadas as emergências do HOF, pronto atendimento e outras unidades de saúde no Estado. Aldo Mota coordenou as reformas sem paralisar os atendimentos emergenciais de adulto e pediatria.

Passou seis anos e meio como Diretor do Hospital da Restauração. Ao deixar o nosocômio, o HR estava equipado com duas emergências em funcionamento.

Construiu e foi diretor presidente de dois hospitais privados, o Hospital de Paudalho e o Hospital das Clínicas de Carpina. Neste último, atua como médico e diretor.

Deixe um comentário