Destaques Regional Últimas Notícias

Tracunhaém celebra os 93 anos de Dona Maria Eugênia

Eugênia Gomes da Silva nasceu em Carpina, mas ainda bem pequena foi levada com a família para Tracunhaém. Iniciou sua vida na terra do barro vivenciando a tradição local do artesanato, através de seus pais também artesãos de Tracunhaém. Nesta segunda-feira, dia 8 de novembro, Dona Maria Eugênia, como é conhecida, completa 93 anos de vida.

Ainda bem jovem, aos 12 anos, ela tornou-se aprendiz de oleira, que é a artista que usa o calor dos fornos à lenha para preparar peças de barro como panelas, pratos e outros utensílios domésticos. Sua mestra foi Comadre Kina, naquela época umas das referências da região e mestra no ofício. A partir dos 15 anos e já adotando o nome artístico de Maria Eugênia, ela já fazia suas próprias peças, conseguindo vender e passar a sobreviver do barro com suas próprias mãos.

Dona Maria Eugênia é a única oleira ainda viva no município de Tracunhaém. Atualmente não exerce mais a atividade, mas a herança artística está com seus filhos, e consequentemente seus netos. Vive na mesma casa onde cresceu e criou seus filhos, local onde construiu sua olaria e onde seu neto Davi da Silva da continuidade a sua história e sua arte.

“Dona Eugênia é uma referência quando falamos do trabalho das oleiras em Pernambuco. Com sua humildade e sua simplicidade, dedicou-se à arte da peças em barro modeladas no torno, ao longo de sua vida e hoje celebra seus 93 anos. Apesar disso, Dona Eugênia ainda trabalha criando peças e é a inspiração para todas as gerações posteriores, não só de oleiros como também de escultores de Tracunhém. Na altivez de sua longevidade, manteve a humildade e simplicidade com que criou suas obras e com seu trabalho sustenta a família e contribuiu para elevar o nome de Tracunhaém à condição de Capital do Artesanato em Cerâmica. Por isso, celebrar a longevidade e a obra de Dona Eugênia, é celebrar a arte e o artesanato de Pernambuco”, destaca Breno Nascimento, coordenador de Artesanato da Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE).

Deixe um comentário